É nosso cliente? Avalie-nos!

Ações do Facebook Acumula Queda de 18,4% em três Dias

Por 23 de maio de 2012Outras Notícias

São Paulo – Em três dias, os papéis do Facebook negociados na Nasdaq perderam 18,4% de seu valor. Oferecidas ao mercado por 38 dólares na sexta-feira (18), as ações da rede social fecharam a terça-feira (22) sendo vendidas a 30 dólares.

 Comparada com outras empresas de tecnologia que realizaram IPOs recentes, o IPO do Facebook foi o pior. O Linkedin, por exemplo, mais do que dobrou o valor da oferta inicial já no primeiro dia em que esteve listado na Nasdaq.  O Groupon obteve valorização de 31% em sua estreia na bolsa eletrônica e o serviço de músicas Pandora, 11%.

Hoje, a Reuters divulgou que analistas do Morgan Stanley, um dos bancos que coordenou a venda das ações do Facebook, reduziu suas projeções de valorização dos papéis do Facebook pós IPO. Essa decisão do banco teria influenciado negativamente os humores de investidores com a rede social.

 Na última sexta-feira, o Facebook colocou no mercado um volume de 421 milhões de ações pelo valor de 38 dólares cada. Com a oferta, a empresa arrecadou cerca de 16 bilhões de dólares, mas agora vê seus papéis diminuírem de valor.

Problemas – No primeiro trimestre de 2012, o Facebook apresentou faturamento de US$ 1 bilhão, alta de 45% sobre igual período do ano passado. Apesar disso, os investidores desconfiam da capacidade da rede social em ampliar a monetização de seus 900 milhões de usuários, especialmente quando eles migram para dispositivos móveis, como smartphones, plataforma menos amigável para a publicidade.

 Há também desconforto com o fato das receitas do Facebook dependerem excessivamente da Zynga, fabricante de games sociais. Atualmente, quase 20% da receita da rede social está vinculada a serviços e produtos da Zynga.

 Os seguidos problemas judiciais do Facebook com antigos acionistas e as discussões legais sobre violação da privacidade dos usuários também geram insegurança nos investidores, bem como o fato da companhia ser conduzida quase que exclusivamente por Mark Zuckerberg, supostamente avesso à interferência de conselheiros especialistas em administração.

 Mesmo com a venda de cerca de 14% dos papéis do Facebook no mercado de ações, Zuckerberg mantém o controle sobre 56% dos votos que elegem o Conselho de Administração da companhia.

 O mau desempenho dos papéis do Facebook vai na contramão da previsão de vários analistas. Dois dias antes do IPO, Jim Krapfel, analista da Morningstar, afirmou que os papéis da rede se valorizariam 50% já nos primeiros dias de negociação em bolsa.

Fonte:  info.abril.com.br