É nosso cliente? Avalie-nos!

Empresas de Câmaras Frigoríficas Ampliam Produção na Região Oeste

Por 16 de novembro de 2012Outras Notícias

Randon e Niju investem R$ 13 milhões, contratam 75 trabalhadores para atender ao aumento da demanda

A crise do milho não afetou o mercado de câmaras frigoríficas para caminhões, que está com grande demanda e levando empresas a novos investimentos e contratação de mão de obra. Somente duas empresas sediadas em Chapecó, a Randon Branctech e a Niju, estão investindo R$ 13 milhões e abriram 75 novas vagas.

Os investimentos feitos pelas duas empresas servem de termômetro do setor pois esse tipo de câmara é utilizada para transportar a produção das agroindústrias. A Randon contratou 45 funcionários e inicia o segundo turno de trabalho a partir desta segunda-feira.

A partir do próximo dia 19, a meta é ampliar em 50% a produção na unidade de Chapecó, passando de duas câmaras frigoríficas por dia para três.

— Queremos antecipar nosso prazo de entrega pois temos encomendas até maio de 2013 — explica o gerente da Randon, Geison Werner.

Ele informou que a empresa está investindo R$ 6 milhões em ampliações. A Randon, que tem matriz em Caxias do Sul (RS), adquiriu em novembro do ano passado a Folle Indústria de Implementos Rodoviários Ltda.

Na época, a indústria tinha 48 funcionários e a produção era de uma unidade a cada dois dias, em média. Até semana passada, quando não havia começado, ainda, o segundo turno de trabalho, a empresa tem 110 funcionários e fabrica duas unidades por dia.

— Essa aquisição foi um gol, senão não teríamos como atender a demanda — afirma Werner.

Ele comenta que, apesar de alguns problemas enfrentados pelas agroindústrias, os investimentos no setor de frigoríficos continuam. No próximo ano, a Randon deve investir mais R$ 12 milhões na unidade de Chapecó e abrir outras 40 vagas. A atual produção de três câmaras frigoríficas por dia em Caxias do Sul será transferida para Santa Catarina.

De acordo com Werner, a Randon detém 53% do mercado nacional de câmaras frigoríficas para caminhões. A produção da unidade de Chapecó fica 70% em Santa Catarina. Já a produção da unidade gaúcha atende outros mercados, principalmente São Paulo.

A Niju também começou a contratar novos funcionários, abrindo 30 vagas. A empresa investiu R$ 7 milhões em ampliações. De acordo com o presidente da companhia, Sextílio Hans, houve um incremento de 30% na produção no segundo semestre.

— Há uma recuperação do mercado, que foi ruim no início do ano — considera Hans.

A empresa está fabricando 65 unidades por mês. E suspendeu as exportações para atender ao mercado interno. Os pedidos vão até março de 2013. A meta da Niju é aumentar a produção entre 10% a 15% até o final do ano, chegando a 75 unidades por mês.

— Nosso limitante é a falta de mão de obra — explica Hans.

 

As contratações

Randon
45 trabalhadores
Cargos: 38 auxiliares de operações (salário inicial de R$ 856 com progressão para R$ 950 após experiência), quatro montadores da categoria I e três montadores II (salários de cerca de R$ 1,2 mil)

Niju
30 trabalhadores
Cargos: 10 montadores, oito soldadores, três pintores, sete funcionários para fazer acabamento, um eletricista, um desenhista (salários acima de R$ 1 mil)

Fonte: DIÁRIO CATARINENSE