É nosso cliente? Avalie-nos!

Aumento real de salário foi de 1,25% em 2013

Por 3 de abril de 2014Trabalhista/Previdenciária

O Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE) divulgou na manhã desta quarta-feira, dia 2, o balanço dos resultados das negociações dos reajustes salariais de 2013. A análise foi feita com base na pesquisa de negociações coletivas de 671 unidades de negociação da Indústria, Comércio e Serviços em todo o território nacional no ano de 2013.

Cerca de 87% das unidades de negociação pesquisadas conquistaram reajustes com aumento real dos salários. 7% tiveram reajustes iguais à inflação medida e 6% tiveram reajustes insuficientes para recompor o valor dos salários desde a última data-base (inflação medida pelo INPC-IBGE). O aumento real médio em 2013 foi de 1,25%.

Na segunda metade do ano, cerca de 94% dos reajustes resultaram em aumentos reais para os salários. Na primeira metade, foram 83%. O aumento real médio foi de 1,52%, enquanto no primeiro semestre ficou em 1,11%

Os dados de 2013 revelam um recuo frente ao quadro analisado em 2012 – o melhor ano para a negociação dos reajustes salariais, de acordo com a pesquisa do SAS-DIEESE –, e dados mais próximos aos observados em 2011.

Reajustes salariais por setores econômicos

O comércio  foi o setor que apresentou maior percentual de negociações com aumento real em 2013 – 98% das 111 analisadas. Na Indústria, aumentos reais foram observados em 89% das 343 unidades de negociação pesquisadas. Nos Serviços, em 78% das 217 unidades de negociação do setor. Os reajustes abaixo da inflação foram mais observados nos Serviços (11% do setor), do que na Indústria (5%) e no Comércio (2%)

Fonte: http://economiasc.com.br/